p_p_id_56_INSTANCE_Ti3K_ 1


56_INSTANCE_6bvA 56_INSTANCE_6bvA p_p_id_56_INSTANCE_6bvA_
56_INSTANCE_FR5t 56_INSTANCE_FR5t p_p_id_56_INSTANCE_FR5t_
Programação

Exposições

A exposição de longa duração (inaugurada em novembro de 2021) tem como objetivo informar sobre o MUHCAB, conceituado como um museu de território – situado na Pequena África, tendo como marco zero o Cais do Valongo, Patrimônio Mundial.

EXPOSIÇÃO DE LONGA DURAÇÃO

A exposição "Protagonismos – memória, orgulho e identidade" pretende iluminar os caminhos que nos trouxeram até aqui, valorizando a memória dos nossos antepassados, o orgulho das nossas origens e de nossas identidades. Inspirados por nossos ancestrais, por sua potência, sabedoria e seu poder de criação e transformação, os curadores Erika Monteiro, Phelipe Rezende e Stephanie Santana, em diálogo com a equipe do MUHCAB, buscaram criar uma exposição que conta a história do negro para além da história da escravidão, sem negar o impacto e os horrores por ela produzidos, mas não permitindo que a experiência histórico cultural afro-brasileira se resuma a ela.

EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS 

Aparecida Silva – Abarcar Origens
 
O MUHCAB - Museu da História e da Cultura Afro-Brasileira celebra o Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha com uma exposição da artista visual Aparecida Silva. Professora e moradora da Zona Oeste da Cidade do Rio de Janeiro, Aparecida Silva desenvolve projetos e pesquisa a fotografia documental, foto-instalações e processos fotográficos alternativos.
 
A exposição “Abarcar Origens” de Aparecida Silva, inaugurada no dia 28 de julho no MUHCAB, expõe quatorze ampliações de fotografias pinholes, realizadas nos lugares de memória do Circuito Histórico e Arqueológico da Celebração da Herança Africana. A artista registra de uma forma única e sensível as paisagens que ajudam a contar a história dos homens e mulheres que desembarcavam dos navios tumbeiros no Cais do Valongo, hoje Patrimônio da Humanidade. Nossas origens de luta e resistência.
A mostra tem curadoria de Mariana Maia e exibe, ainda, câmeras pinholes, cartelas fotográficas manipuláveis e um vídeo sobre o processo de pesquisa da artista no território da Pequena África.
 
Período: 28 de julho a 27 de agosto de 2022.
 
 
Exposição de Fotografias e Filme
Okutá Ió – Retratos de Ancestralidade
 
O MUHCAB, recebe na próxima quinta (11/08), a partir das 18 horas o projeto Okutá Ió – Retratos de Ancestralidade, idealizado por Rodrigo Moraes.
Derivado no longa-metragem Okutá Ió (2022), Okutá Ió – retratos de ancestralidade é um projeto financiado pela prefeitura do Rio de Janeiro e a Secretaria Municipal de Cultura, através do edital FOCA.
Okutá Ió revisita a história e manifestações culturais de matriz africana da região da Pequena África, no Rio de Janeiro. Com atenção para as consequências para a população local das transições no espaço urbano por meio de obras na região portuária voltadas para grandes eventos na cidade. O candomblé, o batuque do samba e as discussões em torno da resistência negra propõe uma reflexão sobre nosso papel na sociedade.
A exposição reúne 20 fotografias de Maurício Horta, morador do Morro da Providência, foi o primeiro fotógrafo a clicar o morro durante a noite e Rodrigo Moraes, todas sobre a zona portuária e sobre manifestações da cultura afro- brasileira.
 
Período: 11 a 27 de agosto de 2022.