Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SMAC
Informações Ambientais

27/01/2010

Tenha acesso a informações fundamentais sobre o meio ambiente da nossa cidade: as praias, as florestas, os solos, a fauna e mais.



Solos


O Mapeamento Pedológico e Interpretações Úteis ao Planejamento Ambiental do Município do Rio de Janeiro foi executado pela EMBRAPA Solos - Centro Nacional de Pesquisa de Solos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Este é o órgão oficial para pesquisa agropecuária e de solos, normativo no que se refere à taxinomia para mapeamento de solos, sendo portanto o responsável pela emissão da nomenclatura oficial de mapeamento de solo no Brasil e desde 1950 vem junto ao Ministério da Agricultura desenvolvendo intensa atividade nesta área.

 

Entre os objetivos da EMBRAPA Solos está produzir e disseminar conhecimentos científicos e tecnológicos de solos com vistas ao desenvolvimento agrícola sustentável.


A instituição foi responsável pelo trabalho de atualização e detalhamento do mapa de Caracterização dos Solos do Município do Rio de Janeiro, elaborado em 1980. Para execução do projeto valeu-se de uma equipe multidisciplinar com larga experiência, composta de pesquisadores, técnicos especializados, pessoal administrativo e de apoio técnico. Os objetivos do trabalho foram:

 

· Atualizar o mapa de solos do município, escala 1:50.000 (PALMIERI e SANTOS, 1980), principalmente quanto aos limites da área urbana e de outros usos com grande impacto na paisagem;
· Avaliar a aptidão agrícola das terras do município, escala 1:50.000;
· Avaliar a vulnerabilidade das unidades de mapeamento de solos, escala 1:50.000;
· Avaliar a qualidade ambiental das unidades de mapeamento de solos, escala 1:50.000, produto do cruzamento dos planos de informação referentes à vulnerabilidade e ao uso atual das terras;
· Elaborar um banco de dados georeferenciado dos produtos gerados para a área de abrangência do município;
· Executar na vertente norte do maciço da Tijuca (sub-bacias do Canal do Mangue e do Canal do Cunha) o mapeamento pedológico escala 1:20.000 e suas interpretações úteis ao planejamento ambiental, gerando, como no caso do município como um todo, um banco de dados georreferenciado
 

Cobertura Vegetal do Município

O trabalho de caracterização da cobertura vegetal da Cidade do Rio de Janeiro, realizado entre os anos de 1984 e 1999 teve como principal objetivo gerar dados acerca do comportamento da cobertura vegetal e do uso das terras no Município do Rio de Janeiro.

 

Com base na classificação de imagens de satélite e na utilização de sistemas de informações geográficas, pode-se demonstrar o quadro evolutivo das alterações no meio natural abordando cinco períodos: 1984, 1988, 1992, 1996 e 1999.

 


Clique aqui para acessar o banco de dados com informações sobre a cobertura vegetal da cidade.

 

Monitoramento da Qualidade de águas de praias e lagoas
(SERVIÇO SUSPENSO TEMPORARIAMENTE)


O Programa de Monitoramento dos Ecossistemas Costeiros foi criado para informar a população o estado da água das praias e lagoas da cidade através de prognósticos, ou seja a previsão da condições de banho.

 

Para determinação da previsão das condições de banho nas praias são coletadas amostras de água em localizados na orla marítima da cidade que posteriormente, são encaminhadas a análises laboratoriais.

 

Os resultados das análises laboratoriais são obtidos em 24 horas e juntamente com previsões meteorológicas, oceanográficas e o exame visual, são usados para elaboração dos prognósticos.

 

O Programa considera também a interação entre os ecossistemas costeiros da cidade e por essa razão são mensalmente monitorados 28 pontos nas lagoas e em 7 canais e semestralmente 23 pontos no entorno do Emissário Submarino.

 

Além da informação acerca das condições de banho, este programa gera subsídios para ações como o levantamento de interferências poluidoras, a formulação de propostas para correção destas interferências, a manutenção de um banco de dados com uma série histórica iniciada em 1995, a avaliação de diferentes métodos para a análise de águas salgadas e salobras; determinação de outros parâmetros que possam ser relacionados à qualidade das águas e a reavaliação dos critérios adotados pela legislação para garantia da balneabilidade e de condições de saúde pública.

 

 

Espécies Ameaçadas

O Decreto Municipal 15.793, de 04 de junho de 1997 criou através da SMAC, o Programa RIO Diversidade. O programa objetiva preservação de espécies ameaçadas de extinção, considerando a reconhecida vulnerabilidade destas espécies.

 

O Programa teve por objetivo instituir a lista oficial das espécies da fauna e da flora ameaçadas na Cidade, publicada no Anexo Único do referido Decreto. Três anos após a sua publicação, esta listagem foi revisada por uma equipe de 63 pesquisadores - zoólogos, botânicos e ecólogos - das mais respeitadas instituições e universidades do país, sob coordenação da SMAC.

 

Esta publicação, como qualquer outra, não é definitiva e deverá sofrer atualizações de tempos em tempos.

 

Somamos neste levantamento, 274 espécies da flora e 170 da fauna, num total de 444 espécies ameaçadas na Cidade. Das extintas, foram somadas 50 espécies: 27 da flora e 23 da fauna. As categorias utilizadas na listagem do Município do Rio de Janeiro são as adotadas pela IUCN (The World Conservation Union) e vêm sendo empregadas em trabalhos desta natureza em todo o mundo. São elas:

 

·Extinto (EX): quando não há dúvidas de que o último indivíduo, de um determinado táxon, morreu;
·Criticamente em Perigo (CR): quando ocorre um risco extremamente alto da extinção na natureza, em futuro imediato, de um determinado táxon;
·Em Perigo (EN): táxon que não se está Criticamente em Perigo, mas corre um risco muito alto da extinção na natureza, em futuro próximo;
·Vulnerável(VU): táxon que não se enquadra nas categorias Criticamente em Perigo, mas corre um alto risco de extinção na natureza, a médio prazo.

 

Metadados:
Escala Original: sem escala
Fonte: SMAC
Data: 2000
Objetivo Final: Atlas Escolar da Cidade do Rio de Janeiro
Desenvolvimento: SMAC, Instituto Pereira Passos (IPP)
 


Clique aqui para acessar nosso banco de dados com informações sobre as espécies ameaçadas de extinção no município do Rio de Janeiro






Serviços Serviços