Secretaria Especial de Ciência e Tecnologia - SECT
Prefeito e ministro visitam obras da Nave do Conhecimento Cidade Olímpica

Secretário de Ciência e Tecnologia apresenta projeto da nave temática


11/03/2016 12:20:00



09/03/2016 18:10:00  » Autor: Juliana Romar / Fotos: J.P. Engelbrecht

O prefeito Eduardo Paes e o ministro da Ciência e Tecnologia, Celso Pansera, visitaram nesta quarta-feira (09/03) o prédio onde está sendo construída a Nave do Conhecimento Cidade Olímpica, ao lado do Estádio Olímpico João Havelange (Engenhão), no Engenho de Dentro. A Nave ficará na Praça do Trem, área com 35 mil metros quadrados que contará com ciclovia com dois quilômetros de extensão, uma esplanada arborizada com acesso ao estádio, dois galpões revitalizados e um prédio administrativo. A expectativa é de que o novo equipamento, que deve ser inaugurado em maio, atenda por dia cerca de 2 mil pessoas.

- Isso aqui é quase um museu olímpico. Fizemos a recuperação dessa área toda, com a reurbanização do entorno com obras do Bairro Maravilha e a implantação dessa Nave. Ela será como uma lan house pública muito sofisticada, onde as pessoas podem acessar tablets, computadores, redes sociais e ainda fazer cursos de informática, de robótica e de uma série de línguas. Mas será mais especial porque vai ter uma parte toda voltada para a Olimpíada, com histórias, personagens olímpicos, simulação de corridas, entre outras coisas - disse Paes.

A Nave do Conhecimento Cidade Olímpica será utilizada para difundir conteúdo e informações sobre a história das Olimpíadas e seus esportes e sobre as transformações ocorridas na cidade do Rio de Janeiro, antes e depois dos Jogos. O espaço terá como objetivo cinco pilares: brincar, exercitar, divertir, conviver e inspirar. O novo espaço receberá infraestrutura tecnológica e equipamentos de Telepresença, funcionando como hub de engajamento olímpico para as outras oito Naves do Conhecimento e usuários remotos.

A construção, que ocupa uma área de aproximadamente 2 mil metros quadrados da Praça do Trem, terá a entrada de acesso com um robô recepcionista; Sala Multimídia; Biblioteca Digital; Arena Digital, com galerias olímpicas, mesa cidade olímpica, mesa das comunidades, nuvem do conhecimento esportivo, parede do conhecimento olímpico e árvore do conhecimento, espaço infantil e lan table.

- Vim hoje conhecer esse espaço que irá abrigar a Nave Olímpica, um ambiente que envolve tecnologia, ciência e esportes. A Nave do Conhecimento é um projeto muito exitoso e de popularização da ciência. Estamos conversando com a prefeitura para ver se é possível e de que forma o ministério pode ajudar no investimento desse equipamento – explicou o ministro.

A Nave Olímpica contará ainda com simuladores de provas de atletismo, que farão o visitante se sentir dentro de uma competição; uma linha do tempo com imagens e vídeos que contarão a história das Olimpíadas através de infográficos com países participantes, recordes e curiosidades; painéis interativos com os heróis brasileiros de diferentes modalidades; quiz sobre os esportes; informações e depoimentos de atletas sobre hábitos alimentares; exposição de objetos ligados aos Jogos, em versões modernas e antigas, como raquete de tênis, cadeira de rodas, bicicleta, prótese e espada de esgrima.

A Nave Olímpica vai reforçar ainda o contraste entre os tempos, já que sua fachada manterá as características arquitetônicas do antigo prédio. Também haverá uma "área do legado", que mostrará através de um Cinema Imersivo a transformação do Rio de Janeiro em cidade olímpica e proporcionará ao visitante a oportunidade de um voo panorâmico pela Cidade Maravilhosa.

- O acesso à nave será feito por meio de um cadastro, em que o visitante receberá uma pulseira com tecnologia RFID, de identificação por radiofrequência, que carregará uma espécie de arquivo da pessoa e permitirá um roteiro personalizado. Essa nave aqui vai trabalhar com uma tecnologia mais sofisticada e com uma visão de legado olímpico – explicou o secretário de Ciência e Tecnologia do município, Franklin Coelho.

Para deixar uma lembrança marcante da experiência vivida no equipamento, os frequentadores poderão tirar uma foto em realidade aumentada com os mascotes dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, Tom e Vinícius, e visualizar de forma virtual a chama que representa o fogo olímpico, através de uma tocha holográfica.

Após os Jogos Rio 2016, o espaço em torno do Engenhão, na região do Grande Méier, vai virar uma grande área de lazer. Com investimento de aproximadamente R$ 115 milhões, as melhorias urbanísticas que estão sendo implementadas pela Prefeitura do Rio no local incluem o restauro da Praça do Trem (conjunto de antigos galpões tombados que serviam como oficinas para reparo dos trens); a construção da Nave Olímpica; uma ciclovia com dois quilômetros de extensão; além de obras de requalificação, como drenagem, implantação de novo paisagismo, cabeamento subterrâneo e recuperação de calçadas.

 
 




Serviços Serviços