Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro - RIOTUR
Carnaval do Rio se consagra como o maior carnaval do Brasil

Número recorde de foliões e turistas na cidade supera todas as expectativas


14/03/2011 16:48:00


Além de ser conhecido por possuir o maior espetáculo da Terra, o Rio de Janeiro se consagra como o maior carnaval de rua do País. Cerca de 4,9 milhões de foliões estiveram espalhados por diversos pontos da cidade, entre eles 1 milhão de turistas - 40% estrangeiros - que geraram para o município uma receita de 740 milhões de dólares.


Segundo dados da ABIH (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis) a taxa da ocupação hoteleira também superou o carnaval de 2010 ficando com uma média de 96% (2% a mais que o carnaval anterior). No centro da cidade a ocupação chegou a 100%. Os bairros de Copacabana, Leme, Botafogo e Flamengo, ficaram com 99%; Barra da Tijuca e São Conrado, 85%; Ipanema e Leblon fecharam com 94% de seus leitos ocupados.


A ABAV (Associação Brasileira de Agências de Viagem) registrou um aumento de 15% no número de pacotes vendidos para o carnaval da cidade, em comparação com o mesmo período de 2010. No âmbito nacional foi constatado o crescimento de turistas provenientes dos estados de São Paulo e Minas Gerais. Já no internacional, foi registrada a presença de novos mercados como Índia, Irã e o Leste Europeu.


Durante a semana de carnaval, o site da Riotur – www.rioguiaoficial.com.br – atingiu o número recorde de visitas em relação ao carnaval passado. Foram 43.658 internautas acessando as informações sobre blocos de rua, sambódromo, bailes da cidade, além dos serviços turísticos oferecidos online para cariocas e turistas, entre eles o booking.com.

O número de foliões nos blocos de rua superou o estimado pelos organizadores em 2.217.850 milhões, totalizando 4.877.900 milhões de pessoas espalhadas por sete regiões da cidade.


REGIÃO
 

                       PÚBLICO ESTIMADO        PÚBLICO APÓS O DESFILE


ZONA SUL             7. 44.050                        1.542.900
CENTRO                1.498.100                       2.814.100
GRANDE TIJUCA       72.100                              90.125
BARRA                  117.900                              144.900
ZONA NORTE        117.00                                 146.250
ILHA                      10.700                                  13.375
ZONA OESTE       101.000                               126.250


TOTAL                  2.660.850                            4.877.900


Foi disponibilizado o triplo de banheiros químicos em relação ao carnaval anterior – aumento de 209%. Ao longo de toda a festa os foliões puderam contar com 13 mil posições de banheiros contra 4.200 em 2010.


Carnaval 2012


Com o objetivo de desafogar o número de blocos na Zona Sul do Rio de Janeiro e proporcionar um melhor Carnaval para os foliões e moradores da cidade, a Riotur já começou a fazer um estudo detalhado que pretende reduzir pela metade o número de foliões da região para o Carnaval de 2012.


Entre os quesitos que serão analisados sobre as mudanças para o próximo carnaval estão a tradição dos blocos e a identidade deles com os bairros, como exemplos a Banda de Ipanema, o bloco Simpatia Quase Amor, Acadêmicos do Vidigal, entre outros.


Em 2011, 424 blocos foram cadastrados e desfilaram pela cidade, número 10% inferior ao de 2010, quando 465 saíram pelas ruas do Rio. Na Zona Sul o público estimado para esse ano, que era de 744 mil pessoas, chegou a 1.543 milhão, entre cariocas e turistas.


O objetivo da Prefeitura é melhorar a infraestrutura do carnaval de rua, proporcionando uma maior quantidade de banheiros químicos, uma melhor organização e mais segurança para os foliões, e também para aqueles que não curtem o carnaval de rua – explica o secretário municipal de turismo, e presidente da Riotur, Antonio Pedro Figueira de Mello.

Banheiros químicos e containers

Ao longo de 22 dias, foram posicionadas, higienizadas, e transportadas 7.400 cabines de banheiros químicos, em mais de 800 endereços na Cidade do Rio de Janeiro. Instalados e operados 40 containers sanitários, em 17 pontos da Zona Sul, Centro e Tijuca.
A estimativa é que tenham sido recolhidos mais de 1.200.000 litros de xixi pelos banheiros químicos, e 750.000 litros, pelos containers, ou seja, no total, o equivalente a 3 piscinas olímpicas de urina.
Pesquisa define perfil do folião do Carnaval de rua e do Sambódromo
 
A Riotur, em parceria com a ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing) realizou pela primeira vez, uma pesquisa para definir o perfil do folião de rua. Entre os 924 entrevistados, 53% era composto por de homens e 47% de mulheres. Os moradores da Região Metropolitana do Rio ficaram em 92%; turistas nacionais e estrangeiros em 8%. A maioria na faixa etária de 18 a 28 anos (61%), seguida por 29 a 39 anos (23%), 40 a 50 anos (9%) e 51 a 61 anos (4%). Entre os turistas que estiveram presentes ao carnaval de rua, 61% tiveram suas expectativas correspondidas e 39% tiveram suas expectativas superadas, totalizando 100% de aprovação; 92% pretendem voltar à cidade e 97% indicariam o carnaval carioca para um amigo.
 
No sambódromo foram realizadas 1.003 entrevistas e constatado que 70% era composto de moradores da Região Metropolitana, 18% de turistas nacionais e 12% de turistas estrangeiros.  O perfil das pessoas presentes no evento era composto por 55% de mulheres e 45% de homens. A maioria na faixa etária de 29 a 39 anos (31%), seguida por 18 a 28 anos (28%), 40 a 50 anos (24%) e 51 a 61 anos (13%). Entre os entrevistados 98% informaram que pretendem retornar ao Rio de Janeiro e 97% recomendariam a algum amigo conhecer o carnaval da cidade; 96% dos turistas presentes no evento tiveram suas expectativas superadas ou ficaram satisfeitos.
 
Do total de pessoas entrevistadas no sambódromo, 67% freqüentaram também os blocos de rua durante o carnaval, 15% foram aos bailes e 12% estiveram presentes ao Carnaval da Rio Branco. Em média, os turistas que estiveram presentes no Sambódromo permaneceram na cidade de 8 a 11 dias. Já os que foram entrevistados durante o carnaval de rua permaneceram, em média, 12 dias.
 
Em avaliação aos serviços prestados pela cidade no Carnaval de rua, o Rio de Janeiro ficou acima da média em todos os quesitos analisados pelos turistas em geral (estrangeiros + brasileiros): Diversão Noturna (9,08), Restaurantes (8,63), Segurança Pública (7,68), Transporte Urbano (7,53), Limpeza Urbana (7,19), Informação Turística (6,73), e Segurança dos blocos (6.70).
 
Por parte dos turistas em geral (brasileiros e estrangeiros), apenas dois serviços oferecidos no Sambódromo tiveram nota abaixo de 6,0: a variedade (alimentação), com 5,28 e os preços (alimentação), com 5,21. Os demais serviços foram avaliados desta forma: sonorização (8,07), acesso ao setor (7,74), sinalização interna (7,60), atendimento/alimentação (7,40), limpeza do setor (7,0), qualidade/alimentação (6,57), conforto das acomodações (6,57), limpeza dos banheiros (6,54), quantidade de banheiros (6,29).

Balanço dos órgãos públicos que atuaram no Carnaval da cidade


CENTRO DE OPERAÇÕES RIO


Em seu primeiro carnaval, O Centro de Operações Rio – inaugurado no dia 31 de dezembro do ano passado para monitorar a cidade e os grandes eventos, ajudou no controle do tráfego e da multidão arrastada pelos blocos de rua com o auxílio de quase 500 câmeras e de operadores de 30 órgãos municipais, concessionárias, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, que trabalharam 24 horas por dia durante o feriadão.
Para chegar no meio do povo e zelar pela folia ainda mais de perto, o Centro contou com o apoio da tecnologia do carro-espião e da mochila-vigilante. A câmera, que filma 360 graus, flagrou mijões e teve papel fundamental no socorro de um jovem que se acidentou durante o Bloco das Carmelitas, em Santa Teresa, na sexta-feira de carnaval. Com ajuda da ferramenta, o socorro dos Bombeiros chegou mais rápido ao local, salvando a vida do folião, que teve traumatismo craniano.
A chuva tentou, mas não tirou o brilho da folia carioca. Uma equipe de meteorologistas, de plantão 24h horas, monitorou as condições do tempo através do radar meteorológico e das 33 estações pluviométricas. No entanto, não houve registros de transtornos. Grajaú (35,4mm), Tijuca (35,2mm) e Bangu (34,6mm) foram os bairros onde mais choveu.


SEOP (Secretaria Especial de Ordem Pública)

Cerca de 2 mil pessoas entre agentes da Seop e guardas municipais atuaram no combate ao xixi na rua, ambulantes não credenciados, estacionamento irregular e também na dispersão dos blocos, desde os três fins de semana anteriores ao início do Carnaval.

Desde o desfile dos blocos pré-carnavalescos, 1.802 veículos foram rebocados e 7.488 multados por estacionamento irregular. A operação choque de ordem levou para a delegacia 777 mijões. Foram apreendidos 14.993 itens do comércio ambulante entre eles, bebidas, isopores e alimentos.


GUARDA MUNICIPAL

A Operação Carnaval 2011 da Guarda Municipal do Rio de Janeiro registrou uma queda de 58% no número de ocorrências relacionadas ao patrulhamento em geral (como crianças perdidas, solicitações do Disque Ordem, atendimento a turistas, entre outros) e crescimento de 2,5% no número de veículos infracionados em relação ao Carnaval do ano passado. Além disso, subiu para 232 % o número de veículos rebocados.
O Centro de Controle Operacional (CCO) da Guarda Municipal do Rio de Janeiro registrou 89 ocorrências durante o Carnaval em toda a cidade, o que representa uma queda de 58% em relação ao ano anterior. No Carnaval de 2010, a GM-Rio registrou 214 ocorrências, 108 ocorrências (2009), 79 ocorrências (2008), 94 ocorrências (2007), 97 (2006), 214 (2005), 154 (2004), 406 (2003), 281 (2002) e 323 (2001).
Foram notificadas 3.723 infrações das 12h de sexta-feira, dia 12, às 6h desta quarta, dia 9, – um aumento de 2,5% no número de multas em relação a 2010, quando foram registradas 3.629 multas.
Já em relação ao número de veículos rebocados pela GM-Rio neste Carnaval houve um aumento de 232 %, uma vez que 778 veículos foram rebocados. Em 2010, foram 234 veículos rebocados. Já em 2009, foram 289 veículos rebocados.


COMLURB (Companhia Municipal de Limpeza Urbana)

Comlurb removeu 1304 toneladas de lixo desde o desfile dos primeiros blocos de rua, em fevereiro, até o Monobloco, dia 13/03, quando foi encerrado o Carnaval. Nesse total estão incluídas também as quantidades de resíduos removidas do complexo do Sambódromo, Avenida Rio Branco e Estrada Intendente Magalhães.


O pré carnaval, com o desfile de blocos em vários bairros da cidade, foi responsável por gerar 268,6 toneladas de lixo. Durante os cinco dias oficiais de folia, a Comlurb contabilizou 849,5 toneladas. Esse número corresponde a um aumento de 12% em relação ao ano passado. Já os desfiles de blocos e escolas de samba após a Quarta-Feira de Cinzas produziram 186,1 toneladas.


Para a limpeza dos blocos, a Companhia elaborou um plano de ação classificando os blocos em quatro categorias – especial, um, dois e três – de acordo com demanda de recursos necessária para que a limpeza seja feita por um efetivo e equipamentos ideais. Desta forma, foram agilizados os procedimentos e atendimentos às demandas específicas de cada bloco. A limpeza aconteceu com o apoio de contêineres, caminhões compactadores, pulverizadores, pipas d'água, Kombi lava jato, caminhões basculantes, mini varredeiras, varredeiras mecânicas e mini basculantes. Todas as vias da cidade por onde passaram blocos foram atendidas com limpeza.

O asseio do Sambódromo e do Terreirão do Samba ficou a cargo de 1572 garis. Na Estrada Intendente Magalhães, atuaram 43 garis, a cada dia. Os trabalhadores tiveram o apoio de caminhões basculantes e compactadores, pipas d'água, pás carregadeiras e mini varredeiras. Essa megaoperação da Comlurb foi realizada sem comprometer a limpeza ordinária, que é feita diariamente pela empresa em todos os bairros do Rio.

A coleta seletiva no Sambódromo foi feita por 70 catadores das organizações Febracom, CataRio e Movimento Nacional de Catadores do Rio de Janeiro, que removeram 71,7 toneladas de materiais recicláveis, entre os dias 04 e 12/03


SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL

Durante os seis dias de desfiles das escolas de samba, foram atendidas 1.918 pessoas, em sua maioria por cefaleia (dor de cabeça) e cortes. Ao todo, foram necessárias 57 remoções para hospitais da rede municipal (cerca de 3% do total de atendimentos). As transferências foram motivadas, principalmente, por hipertensão, fraturas, entorses e mal estar. O segundo dia de desfile do grupo A, dia 7, concentrou o maior número de atendimentos, totalizando 568 consultas, 30% do total.


A Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil (SMSDC) ofereceu à população oito postos de saúde localizados estrategicamente no Sambódromo e Terreirão do Samba, que contaram com mais de 150 profissionais de saúde de plantão, além de 16 ambulâncias UTIs. As unidades estiveram abertas a partir das 18 horas, localizadas na Concentração, setores 2, 7 e 11, Rua Salvador de Sá, Apoteose e duas no Terreirão do Samba.Todas contaram com equipamentos de suporte à vida, medicamentos, insumos e exames.

A Defesa Civil Municipal não registrou nenhum incidente grave e as equipes da Vigilância Sanitária que estavam de plantão na Marquês de Sapucaí realizaram 125 vistorias em estabelecimentos de alimentação, emitiram 30 autos de infração e inutilizaram 70kg de comida e 20 litros de bebidas. As principais causas de infração foram por armazenamento de alimentos fora da temperatura adequada e/ou estocados em condições inadequadas, falta de higiene, produtos impróprios para consumo e fora do prazo de validade.


No ano passado, 2.175 pessoas foram atendidas e 54 transferidas para hospitais (2,4% do total de atendimentos). As principais causas foram intoxicação alcoólica, crise hipertensiva (pressão alta), mal estar e problemas ortopédicos.

CET-RIO (Companhia de Engenharia e Tráfego)

Média diária de 1.000 agentes da Prefeitura atuando, sendo 750 agentes da Guarda Municipal e 250 operadores da CET-Rio. Além disso, a CET-Rio atuou com 22 reboques para desobstrução de vias; 25 motocicletas; 35 veículos de apoio operacional; 23 painéis de mensagens variáveis para orientar os motoristas e passar informações sobre as condições de trânsito. Destaque-se ainda que foram enviados 63 informativos de trânsito relacionados aos eventos carnavalesco.

RIOLUZ

Iluminação monumental do Sambódromo - 29 postes, 27 quadros de luz e 400 projetores com potência de 2mil watts cada. O sistema de proteção contra raios também foi reformado. Como esse trabalho, houve aumento de 35% a luminosidade da região.


Iluminação especial nos arcos da Apoteose - pelo lighting designer Peter Gasper, a nova iluminação conta com 288 projetores de 1000 watts de potência cada um, além disso, foram instalados 22 projetores em LED. A iluminação permitiu refletir nos arcos da Apoteose as cores de cada uma das escolas que desfilaram na Passarela do Samba.


Instalação de 914 projetores, num total de 1.255 pontos de luz a mais, em vias de grande concentração de pessoas durante o período de Carnaval. Os refletores, que aumentaram a luminosidade em 200%, e ficaram localizados nas avenidas Intendente Magalhães (84 projetores) e Rio Branco (112), no Terreirão do Samba (47), na área da dispersão (45) e na área de concentração (156) do Sambódromo.


A área no entorno do Sambódromo teve 1.000 pontos de luz reformulados em 43 vias. Na Avenida Presidente Vargas foram reformulados 660 pontos de luz, com lâmpadas de vapor metálico.


POLÍCIA CIVIL

De acordo a Polícia Civil, houve uma queda em 18 crimes durante o feriado de carnaval no Rio. O número de homicídios dolosos ficou 40 em 2011 contra 72 em 2010. Lesão corporal culposa caiu de 414 para 382. A queda de lesão corporal dolosa foi de 1.040 para 662. O roubo de veículos em 2011 foi de 212 para 172.


André Babilônia
Assessor de Comunicação Social Riotur
+55 21 2976-7304
www.rioguiaoficial.com.br

Foto: Paulo Mumia


Imagens relacionadas:
























Serviços Serviços