Transparência da Mobilidade

Rio+Fácil



Transparência da Mobilidade




 
Prefeitura promove restauração de imóveis no Centro Histórico

27/12/2013 15:43:00  » Autor: Foto: Raphael Lima


Nove imóveis preservados do Centro Histórico do Rio de Janeiro ganharão uma nova cara. A Prefeitura do Rio, por meio do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH), vai apoiar e patrocinar a restauração dos projetos aprovados na primeira edição do Programa de Apoio à Conservação do Patrimônio Cultural (PRO APAC). A prefeitura vai investir cerca de R$ 2,4 milhões na restauração de antigos sobrados da região central da cidade (confira a relação abaixo). Uma segunda edição do programa já foi lançada e destinará mais R$ 5,6 milhões para projetos com o mesmo objetivo. Veja aqui o edital. As inscrições estão abertas até o dia 25 de fevereiro. Um edital parecido, com investimentos de R$4 milhões, vai atender em breve os imóveis preservados da Região Portuária.

 

- Esses nove primeiro projetos selecionados mostram as principais características do Centro Histórico da cidade. Além de ser um local de moradia, o Centro também tem uma vocação artística e cultural. Prova disso é que seis projetos envolvem arte, cultura e a economia criativa - destaca Washington Fajardo,  presidente do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade, acrescentando que o Centro é uma das áreas da cidade com o maior número de imóveis tombados e preservados com problemas de manutenção:

 

- O Centro Histórico da cidade sempre foi um local que apresenta problemas com relação à conservação dos imóveis. É um local que temos muitos imóveis protegidos, mas poucos bem preservados. Prova disso é que, de vez em quando, temos alguns incêndios e desabamentos. Precisávamos de um projeto para tentar evitar que essa situação piorasse. A preservação da identidade e da memória de uma cidade está diretamente relacionada à conservação de seu patrimônio cultural. Precisamos valorizar e preservar a nossa história. Por isso, queremos continuar selecionando projetos que revitalizem o patrimônio do Rio.

 

Os projetos inscritos precisaram prever a recuperação de imóveis de quatro Áreas de Proteção do Ambiente Cultural (APACs): Corredor Cultural; Cruz Vermelha; Catumbi e Cidade Nova; e Catete e Glória. A área prioritária e que teve mais relevância – maior pontuação na seleção - foi a compreendida no entorno da Praça Tiradentes, da Praça dos Arcos, na Lapa, e em imóveis com endereço voltados para as ruas do Lavradio, Mem de Sá e Rua da Lapa.

 

Foram aceitas inscrições de produtoras culturais, organizações não governamentais, organizações sociais, escritórios de arquitetura, empresas de engenharia com especialização em restauração ou cooperativas de artesãos e restauradores. Para concorrer a empresa deveria ter sede na cidade do Rio de Janeiro e não foram aceitas inscrições de pessoas físicas, mesmo sendo os donos dos imóveis. As cotas da Prefeitura do Rio tiveram cota máxima de R$300 mil.

 

Os inscritos puderam participar com até quatro projetos culturais por CNPJ, e tiveram que ter autorização do proprietário. Cada participante só poderia ter até no máximo três projetos contemplados. Cada imóvel concorreu somente com um projeto. Os projetos foram avaliados por uma comissão do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade. Os principais critérios de avaliação foram o nível de proteção, a localização do imóvel, o uso, o impacto na paisagem e a qualidade do projeto cultural.

 

OS IMÓVEIS QUE SERÃO REFORMADOS

1 – Rua do Lavradio, 11

2 – Rua Buenos Aires, 311

3 – Rua Washington Luis, 34

4 – Avenida Mem de Sá, 207

5 – Avenida Mem de Sá, 23

6 – Rua Moraes e Vale, 21

7 – Rua Moraes e Vale, 15

8 – Rua da Lapa, 213

9 - Rua do Senado, 271 




Serviços Serviços

Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro