Instituto Municipal de Vigilância Sanitária, Vigilância de Zoonoses e de Inspeção Agropecuária (Ivisa-Rio)

 
 
Amante da natureza e dos animais, Luiz Cláudio de Souza Abboud, de 57 anos, não teve dúvida ao eleger a Medicina Veterinária como profissão. Nascido e criado em Niterói, o pesquisador concluiu o curso na Universidade Federal Fluminense (UFF), em 1986, e, depois, ingressou por meio de concurso público, no Centro de Medicina Veterinária Jorge Vaistman (CJV), do Instituto Municipal de Vigilância Sanitária, Controle de Zoonoses e Inspeção Agropecuária (IVISA-Rio). Ao falar sobre a conquista de ter um artigo publicado na revista internacional Elsevier, Abboud ressaltou a importância da divulgação dos trabalhos de profissionais do Ivisa e de outras instituições brasileiras para a evolução da ciência.
 
 
 
1. Quando o senhor ingressou no IVISA-Rio?
Ingressei na Prefeitura do Rio de Janeiro, em 1988, por meio de concurso público e, desde então, desempenho as minhas funções no Centro de Medicina Veterinária Jorge Vaitsman (CJV). Em 1990, iniciei minhas atividades no Laboratório Municipal de Saúde Pública (LASP) da unidade.
 
2. Como é a rotina do senhor no CJV?
Atuo no Laboratório Municipal de Saúde Pública (LASP), onde analisamos diferentes materiais, como fezes, pele e sangue de animais, com o olhar sempre voltado para a saúde pública - dando apoio ao Centro de Controle de Zoonoses Paulo Dacorso Filho (CCZ) e diversas instituições públicas e privadas - realizando diagnóstico de diferentes zoonoses parasitárias. Além disso, orientamos estagiários e residentes na formação acadêmica.
 
3. Fale um pouco sobre o estudo que resultou na publicação do artigo. 
O estudo ocorreu no LASP em parceria com um aluno do mestrado da Fiocruz. Entre agosto de 2017 a novembro de 2018, foram coletadas amostras fecais de 400 cães e 208 gatos atendidos no CJV, que, após análise, resultaram numa positividade de 11% para cães e 24% para gatos com parasitas. Foi realizado também um questionário, com os tutores contendo várias informações epidemiológicas, que demonstrou uma maior positividade entre os cães machos. Entre os gatos, os que tinham acesso à rua foram mais acometidos. 
 
4. A pesquisa demonstrou a necessidade de controle de infecções parasitárias de cães e gatos. Quais as recomendações no cuidado e prevenção para donos de animais?
Nos últimos anos, o número de pets, principalmente cães e gatos, aumentou muito e sua relação com seus tutores e familiares é muito próxima, o que leva a um risco maior na transmissão de Zoonoses. A grande maioria dos parasitas diagnosticados no estudo são considerados zoonoses. Para tratar o problema, são necessárias algumas medidas preventivas como visitas periódicas ao veterinário e a realização de exames para direcionar o tratamento correto do parasita em questão.
 
5. A carreira acadêmica sempre esteve nos seus planos? Após a publicação desse trabalho, qual o seu próximo desafio?
Sim, acho de grande importância a divulgação dos trabalhos desenvolvidos na unidade, pois, além de aumentarem os conhecimentos, contribuem para a evolução da ciência. Já tenho outro estudo para ser publicado, nos próximos meses, que está em fase de revisão com o tema "Toxoplasmose".Além disso, estou auxiliando a pesquisa de uma residente com o tema "Febre Maculosa" que é uma zoonose negligenciada.
 
6. Em relação à Covid-19, como manter a proteção e o bem-estar animal na pandemia?
Sobre o novo coronavírus, há poucos estudos, mas á foi comprovado em alguns artigos científicos o isolamento do vírus em animais. Seria então sensato evitar o contato de pessoas testadas positivas no teste do RT-PCR com os animais de estimação.
 
7. Deixe um recado de incentivo aos jovens pesquisadores do IVISA-Rio que buscam publicar suas pesquisas em periódicos bem qualificados do Brasil e/ou exterior.
Deixo um recado, não só aos pesquisadores, mas a todos os estagiários e residentes que passam pelo IVISA: Divulguem os seus trabalhos por meio de publicações. Além do crescimento profissional, você vai estar auxiliando outras pessoas e pesquisadores com os resultados obtidos.


Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro - Sede: Rua Afonso Cavalcanti, 455 - Cidade Nova - 20211-110