Secretaria Municipal de Obras - SMO
Rio 2016: Prefeitura do Rio conclui a Transolímpica, primeira via expressa da cidade com BRT

Terceiro corredor BRT da cidade será a principal conexão entre os polos de competição Olímpica e Paraolímpica dos Jogos nas regiões da Barra e de Deodoro


11/07/2016 12:33:00


A Prefeitura do Rio entregou no sábado (9/7) um dos principais legados dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 para a mobilidade dos cariocas: a Transolímpica. A via expressa incorpora o sistema BRT e liga o Recreio dos Bandeirantes a Deodoro. O BRT da Transolímpica é o terceiro corredor exclusivo para ônibus rápidos do Rio e o segundo a atravessar a cidade transversalmente, somando-se aos serviços BRT Transoeste e Transcarioca - em funcionamento desde 2012 e 2014, respectivamente. Juntos, os três corredores serão responsáveis pelo transporte de mais de meio milhão de pessoas por dia.

 

A Transolímpica entrará em operação nos Jogos Rio 2016 atendendo exclusivamente os espectadores e a força de trabalho (Work Force) das instalações esportivas  através do BRT e a família olímpica nas duas faixas da via expressa dedicadas aos carros (em cada sentido) em veículos credenciados. A Via Expressa já está à disposição da família olímpica e os serviços de BRT para os Jogos terão início a partir do dia 18 de julho. 

 

Com 26 km de extensão, após as Olimpíadas, a via será aberta à população e fará a ligação intermodal com o BRT Transcarioca, em Curicica, e a Transoeste, no Recreio dos Bandeirantes, além de ser integrada aos trens da SuperVia e futuramente à Transbrasil, em Deodoro. A estimativa é que o tempo de viagem entre Deodoro e Recreio seja reduzido em 60%, beneficiando 70 mil passageiros por dia no BRT e comportando até 55 mil veículos diariamente na via expressa.

 

Iniciadas em julho de 2012, as obras da Transolímpica ​contaram com​​investimento de R$ 2,2 bilhões. Ao todo, a nova via possui 41 travessias entre viadutos, pontes e elevados, que possibilitam a integração de 11 regiões: Recreio dos Bandeirantes, Barra da Tijuca, Riocentro, Camorim, Curicica, Colônia Juliano Moreira, Taquara, Sulacap, Vila Militar, Magalhães Bastos e Deodoro. Entre os viadutos construídos estão o da Avenida Brasil, o sobre a Estrada São Pedro de Alcântara, Avenida Marechal Fontenelle, da Avenida Carlos Pontes, da Estrada da Boiúna, da Estrada do Rio Grande, da Rua Ipadú, da Estrada do Outeiro Santo, da Rua Sampaio Correia, da Rua André Rocha, do Rio Ventura, da Rua da Creche, da Estrada dos Bandeirantes e os elevados Duque de Caxias e de Curicica.

 

A implantação da Transolímpica contempla a abertura de novos caminhos pelo Maciço da Pedra Branca, por meio da construção de dois túneis, sendo quatro emboques – antigo pleito da população, viabilizado com os Jogos Rio 2016, que aguarda há pelo menos 30 anos esta nova alternativa viária à sobrecarregada Estrada do Catonho. O primeiro túnel, na Serra do Engelho Velho, conta com duas galerias e extensão de 2,8 km (1,4 km em cada sentido); já o segundo, situado na Estrada da Boiúna, possui duas galerias de 190 metros cada.

 

O túnel na Serra do Engenho Velho foi batizado de Túnel Senador Nelson Carneiro e o túnel da Estrada da Boiúna recebeu o nome do cantor Cauby Peixoto. Uma homenagem da cidade a dois importantes ícones nacionais.

 

​Ao construir a Transolímpica, a Prefeitura também promoveu a requalificação urbana das Avenida Embaixador Abelardo Bueno e Salvador Allende entre a Barra da Tijuca e o Recreio dos Bandeirantes. As duas avenidas passaram a ter cinco pistas por sentido, aumentando a capacidade de tráfego na região. Os trabalhos de adequação também providenciaram a implantação de sistema de drenagem e nova iluminação. As vias receberam ainda nova pavimentação, calçadas e ciclovia. O projeto de paisagismo contou com o plantio de 1.500 árvores e 133 mil m² de grama.




Serviços Serviços