Escola de Formação Paulo Freire será a estrela da Rede de Ensino do Rio

13/09/2017 18:19:00


O secretário municipal de Educação, César Benjamin, voltou a falar sobre as mudanças na estrutura da SME, ao anunciar a escolha do professor Márcio Costa como o novo diretor da Escola de Formação Professor Paulo Freire. O novo diretor da escola, sociólogo e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), é um dos maiores especialistas em educação pública no Brasil.


Na avaliação do secretário, a Escola de Formação Paulo Freire tem que ser a estrela da Rede de Ensino e, por isso, está previsto um fortalecimento da unidade dentro do processo de renovação da SME. A escola não só vai passar a centralizar toda a parte de formação dos professores, como será uma produtora de conhecimento em Pedagogia.


Para isso, a escola vai trabalhar em cinco frentes: formação inicial; formação continuada; formação de diretores de unidades; formação de corpo técnico para a SME; e, por fim, incentivo à pesquisa.

"Nós temos mais de 40 mil professores e, com certeza, há uma enorme riqueza de experiência, de talento, de capacidade. Uma das iniciativas para fomentar a iniciativa é a de abertura de editais de apresentação de pesquisa pelos professores", disse Benjamin.


A Gerência de Pesquisa vai exatamente fazer a seleção, acompanhar e ajudar a aperfeiçoar os projetos dos professores, para que a SME constitua núcleos permanentes de profissionais dedicados à pesquisa sobre a própria rede, gerando conhecimento para ela.

 

O secretário detalhou o trabalho de todas as outras gerências que farão parte da Escola de Formação Professor Paulo Freire. A de Formação Inicial, por exemplo, vai suplementar a recebida pelo professor nas universidades, durante os primeiros três anos dele na Rede de Ensino.


"Há um fosso entre a formação acadêmica do futuro professor e a prática de ensino. Em geral, ele se forma em Pedagogia, mas só depois de um concurso entra numa sala de aula", explicou César.

 

Já a Gerência de Formação Continuada, embora não seja simples em um universo de 40 mil professores, é necessária e deve ser objeto de discussão. Os diretores de escola, por outro lado, são peças chaves na estrutura da Rede e, portanto, precisam assumir o papel de liderança pedagógica da escola, deixando as tarefas administrativas para o adjunto. "Em alguns países, 1/3 da carga horária horária do diretor é passada dentro de sala de aula, acompanhando o trabalho dos professores".