Secretaria Municipal de Cultura - SMC
Martinho da Vila abre festa literária no Museu da Escravidão e da Liberdade

22/05/2018 19:00:00


 
A Festa Literária das Periferias (Flup) começou, nesta terça-feira embalada ao som de poesia e música no Museu da Escravidão e da Liberdade (MEL), na Gamboa. O evento, apoiado pela Lei do ISS da Secretaria Municipal de Cultura, vai homenagear Martinho da Vila através de um livro com 25 contose crônicas inspirados nas letras das composições que ele canta.
 
A secretária municipal de Cultura Nilcemar Nogueira abriu o evento, e, em seguida, acompanhou e relembrou com o colega sambista os tempos que Martinho ingressou nas escolas de samba. Ela citou um dos poemas de "Maré Cheia", livro recém lançado de Matheus de Araujo, para ressaltar a importância do evento, como uma forma de dar voz e oportunidade:
 

"A história é tão rica que, apesar de tudo que as poesias denunciaram aqui, essa falta de invisibilidade dos negros, somos fortes e estamos fazendo acontecer. Aqui é um lugar intenso em que possamos compartilhar principalmente e difundir a capacidade do público negro de produzir", afirmou a secretária, convidando o público a ir na exposição sobre o samba no Museu de Arte do Rio.

 
O artista esteve no evento relembrando sua saída de Duas Barras, onde nasceu, até o início da sua carreira e presenteou o público cantarolando algumas de suas canções. Martinho achou graça do debate em torno da letra de "Mulheres", que recentemente foi atribuída a um homem homossexual.
 

"Eu canto as mulheres de Toninho Geraes. É a história de um homem que teve muitas relações e procurava a pessoa ideal. Eu não me importo", disse sobre a outra interpretação da letra. A secretária municipal de Cultura Nilcemar Nogueira abriu o evento, e, em seguida, acompanhou e relembrou com o colega sambista os tempos que Martinho ingressou nas escolas de samba. Ela citou um dos poemas de "Maré Cheia", livro recém lançado de Matheus de Araujo, para ressaltar a importância do evento, como uma forma de dar voz e oportunidade:
 

Além do projeto Narrativas Curtas, que homenageia Martinho da Vila, a festa literária conta mais dois processos de formação: o ciclo Poesia Falada e o Laboratório de Narrativas Negras para Audiovisual, que serão desenvolvidos até a grande festa, que acontecerá entre os dias 6 e 11 de novembro no Cais do Valongo.