VIVENDO A PREFEITURA

27/06/2016 03:00:00


 

Nesta 2ª edição, 30 pessoas participaram do Projeto Imersão 


Conhecer a Prefeitura por dentro. Esse é o principal objetivo do projeto Imersão, uma iniciativa do LAB.Rio, o Laboratório Participativo do Rio. Já em sua segunda edição, o Imersão busca atender a uma demanda de cidadãos e cidadãs cariocas de conhecer melhor o funcionamento e os processos decisórios da gestão municipal. E como funciona? Simples: através de um processo seletivo aberto a toda a população, 30 pessoas, de 18 a 35 anos, são selecionadas para participar de três dias de imersão na prefeitura.

 

Os temas abordados são divididos em quatro pilares da gestão municipal: Planejamento & Gestão e outros três temas escolhidos segundo os interesses indicados no momento de inscrição. Neste caso: Educação, Mobilidade e Grandes Obras. No período da manhã, o grupo debate com as equipes técnicas e gestoras de diversas secretarias e autarquias. Já na parte da tarde, o projeto propõe que o grupo conheça de perto instalações, equipamentos e obras municipais que ilustram metodologias e processos relativos à cidade. Aconteceram visitas ao Centro de Operações, ao Museu do Amanhã, ao VLT, entre outros.

 

Felipe Lins, um dos coordenadores do Lab.Rio


Felipe Lins, há quatro anos na prefeitura (primeiro no Instituto Pereira Passos e, há quatro meses, no LAB.Rio), é um dos coordenadores do projeto. Ele ressalta a importância da transparência da iniciativa. "É importante "descortinar" a prefeitura, para fazer com que ela seja mais palatável ao olhar do cidadão, apresentando eficiência, conhecimento técnico, e, principalmente, transparência. A ideia é fazer com que o cidadão, que está na ponta, e é o principal impactado pelas ações da prefeitura, conheça os técnicos que operam a máquina pública. Por isso, nestes três dias, temos a presença de secretários e técnicos municipais responsáveis por gerir as grandes obras e transformações que a cidade está vivendo".

 

Uma das participantes desta edição foi a historiadora Renata Duarte. "Meu interesse em participar foi buscar compreender melhor o funcionamento da máquina pública e também propor soluções. Tenho algumas ideias em mente, mas principalmente perguntas para conhecer melhor a administração. Estudo políticas públicas, então essa troca em que podemos trazer as experiências locais que vivemos no dia a dia tem tudo para contribuir". Outro participante foi o Carlos Henrique, estudante de gestão Pública, da UFRJ. "Estar aqui dentro e ter contato com as pessoas que geram e propõem as ideias a serem implementadas é o que mais me motiva. Quero ser também um contribuinte, com meu olhar crítico. E ver que os participantes são de diferentes regiões da cidade também é ótimo, pois quanto mais realidades diferentes sejam expostas, mais rico fica o debate".

 

Renata Duarte e Carlos Henrique, participantes da 2ª edição do Imersão


Antes de finalizar, Felipe, aproveita ainda para destacar a importância do servidor também estar antenado a uma iniciativa como esta. "É muito legal fazer parte, até porque no ano passado eu estava do outro lado, como um dos 30 jovens selecionados (vale lembrar que o Imersão também é aberto a servidores). E neste momento de transição de governo, acredito que os servidores devem se apropriar da máquina pública e levantar suas principais demandas internas, alinhando demandas e ofertas. Como os servidores seguem na máquina pública, independente de quem será o novo prefeito, eles são papel chave para estarmos cada vez mais assertivos no que queremos para a cidade, desenvolvendo produtos, conteúdos, aplicativos, que possam ajudar a aproximar o cidadão da prefeitura".


Imagens relacionadas:
























 


 

 

 

Matérias mais lidas - Out/16

LÍDERES CARIOCAS
EM PAUTA

 

 

Acredito na força transformadora das crianças

 

VIDAS DEDICADAS À EDUCAÇÃO

 

 

Revista Servidor+

 

Edição 10 - Outubro 2016
Especial Rio 2016