A vencedora do prêmio Bibliotecário do Ano, da SME, conta a sua história

28/03/2016 03:00:00


 

Adriana de Cristo atua na prefeitura há 21 anos
 

A nossa personagem que manda muito bem nesta semana é a Adriana de Cristo Dias Oliveira. Atuando na Prefeitura do Rio desde 1995, ela é bibliotecária e subgerente da Biblioteca Escolar Municipal da Cidade das Crianças — Rachel de Queiróz, em Santa Cruz. Sua relação com a prefeitura teve início a partir da influência de sua tia Namir, que era chefe no Departamento de Bibliotecas na Secretaria Municipal de Cultura, e a incentivou a fazer faculdade de Biblioteconomia. Adriana, que já era professora de Educação Infantil em uma escola particular, prestou concurso e foi aprovada.

 

Sua trajetória no Município, então, começou no projeto Biblioteca Volante, da SME. Depois ainda atuou como secretária na Biblioteca de Campo Grande, chefe nas bibliotecas da Gamboa, Olaria/Ramos, Planetário do Rio, Copacabana e, finalmente, na Cidade das Crianças. "O melhor do serviço público é ter liberdade para desenvolver o trabalho de acordo com as necessidades, respeitando a diversidade dos parceiros que vêm agregar ao trabalho. Me motiva poder contribuir com o desenvolvimento cognitivo e cultural das crianças que frequentam a biblioteca. E lá, o que me dá mais prazer é atender o público, ouvir as sugestões das crianças, comprar livros para elas, desenvolver projetos de leitura e fazer a atividade de contação de histórias para os alunos da Escola Municipal Ricardo Brentani, que fica ao lado da BEM (Biblioteca Escolar Municipal) e outras escolas do entorno, além do público do Parque e nas reuniões dos professores da 10ª CRE. Os maiores desafios são: manter o interesse das crianças nas histórias e livros, e manter um bom atendimento aos leitores apesar das dificuldades", destaca.

 

Toda esta dedicação garantiu a Adriana todo o reconhecimento dos seus colegas na SME através do prêmio Bibliotecária do Ano. "Foi uma surpresa! Eu apenas participei porque recebi o incentivo da coordenadora das BEM, Cilene Alves, para que eu divulgasse, entre os colegas, o meu trabalho. Eu não tinha noção do tamanho e importância do meu trabalho com as crianças. Um prêmio como esse é o reconhecimento de muitos e muitos anos de trabalho à frente das Bibliotecas por onde passei".

 

A boneca Mariana, que atrai os alunos às salas de leitura


E por falar em momentos marcantes, Adriana aproveita para destacar outros dois momentos: "quando eu era da Biblioteca Volante, o que mais me emocionou foi ver as crianças chegando de todos os lados para uma atividade de "Hora do Conto", no meio de uma praça em Ricardo de Albuquerque. Mais recentemente, já em Santa Cruz, foi receber uma cartinha/convite das crianças da Educação Infantil para participar, junto com a boneca Mariana, da formatura deles. Mariana é uma boneca de pano que a minha mãe, Celeste, fez para eu usar nas rodas de conversa, trabalhando os assuntos mais sérios de uma forma lúdica. Aliás, a Mariana me ajudou a ganhar um prêmio, em 2014, do edital "A biblioteca vai à escola/a escola vai à biblioteca", da Gerência de Mídia-Educação, quando fui à FLIP pela primeira vez com colegas bibliotecários e professores." Agora que você já conhece um pouco mais deste destaque da Prefeitura do Rio, confira outros interesses da Adriana.

 

MANDOU BEM:

 

1. Que lugar da cidade é mais especial para você? Por quê?
A Urca é o melhor recanto da cidade! Além de ter uma beleza incomparável, é o bairro que abriga a instituição onde me formei: a UNI-RIO.

 

2. Das mudanças que estão acontecendo no Rio, o que você acha que ficará de melhor?
Os benefícios para a população, que precisa, por um tempo, se adaptar aos transtornos passageiros.

 

3. O que você tem de melhor para dar para a sua cidade?
É o que eu já faço: contribuir para a formação dos cidadãos cariocas!

 

4. Se você não atuasse na sua área, em que outra função gostaria de trabalhar na Prefeitura? Por quê?
Se eu não fosse bibliotecária, adoraria trabalhar em alguma creche municipal. Oferecer estímulos às crianças pequenas é fundamental para o seu desenvolvimento.

 

5. Qual é a mania mais comum do carioca com a qual você se identifica?
Mesmo que eu saia cedo de casa, sempre chego atrasada nos compromissos por conta do trânsito. Também gosto das soluções criativas dos cariocas diante das dificuldades do dia a dia.

 

6. Qual é o seu petisco favorito?
Bolinho de bacalhau!

 

7. A Rio 2016 está chegando. Com qual modalidade esportiva você mais de identifica? Pratica ou já praticou alguma?
Não sou muito de praticar esporte, mas gosto muito de vôlei.

 

8. Qual é o lugar ideal do Rio para se praticar esportes?
O melhor lugar do Rio para a prática de certos esportes é a praia, que é o lugar mais democrático da cidade.

 

9. O que você entende por espírito olímpico?
É o espírito do fairplay: o fato de participar de uma competição jogando limpo e buscando a paz entre os competidores.

 

10. Desde que você entrou na prefeitura, qual realização te deu mais orgulho como funcionário/servidor?
O prêmio de Bibliotecária do Ano!




 


 

 

 

Matérias mais lidas - Out/16

LÍDERES CARIOCAS
EM PAUTA

 

 

Acredito na força transformadora das crianças

 

VIDAS DEDICADAS À EDUCAÇÃO

 

 

Revista Servidor+

 

Edição 10 - Outubro 2016
Especial Rio 2016