Prefeitura do Rio lança primeira série histórica de emissões de gases de efeito estufa

26/06/2019 19:03:00


Nessa quarta-feira (26), a Gerência de Estudos Ambientais e das Mudanças Climáticas do Instituto Pereira Passos lançou oficialmente os inventários de emissões de gases de efeito estufa do município, relativos aos anos de 2012 até 2017. O lançamento, organizado pela Casa Civil, aconteceu no auditório  Carlos Nelson, no prédio do IPP e contou a presença de representantes de governo, do C40, de organizações da sociedade civil e do setor empresarial.

 

O documento é o primeiro produto do Sistema de Monitoramento das Mudanças Climáticas (SISCLIMA), que integra o Plano de Desenvolvimento Sustentável. O PDS traça metas para a cidade para os próximos anos, alinhadas  com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

 

Embora a cidade já tenha produzido três inventários antes desses, essa é a primeira vez que a prefeitura da cidade realiza esse tipo de estudo com equipe própria.  Os três inventários produzidos anteriormente foram contratados pela prefeitura à COPPE/UFRJ e não cobriram anos consecutivos. O primeiro inventário, publicado em 2000, referia-se aos anos de 1990, 1996 e 1998. O segundo, publicado em 2011, referia-se ao ano de 2005. E o de 2013, foi realizado baseado em dados de 2012.

 

Cabe ainda ressaltar que os inventários feitos pelo IPP correspondem à primeira série histórica realizada na América Latina com esforço próprio de governo municipal. A partir de agora, o IPP assume essa atribuição de fazer os inventários de emissões de GEE para o município com uma rotina anual.

 

Metodologia permite comparar a emissão de GEE pelas cidades

 

A metodologia utilizada pelo IPP para a realização desses inventários foi a GPC (Global Protocol for Communities), desenvolvida especificamente para o estudo de cidades. Os dois primeiros inventários realizados pela COPPE foram feitos utilizando-se uma metodologia do IPCC, desenvolvida para países, com adaptações para o estudo das cidades.

 

Com o desenvolvimento pelo C40 de uma mesma metodologia para ser usada para todas as cidades, será possível a realização de estudos comparativos.   Antes cada cidade fazia suas próprias adaptações para a realização dos inventários e isso dificultava a comparação dos resultados das emissões entre elas.

 

As emissões de GEE são medidas, de acordo com a nova metodologia, em cinco setores: energia estacionária, transporte, resíduos (sólidos e esgotos), processos industriais e uma categoria chamada AFOLU, que reúne agropecuária, florestas e uso do solo.

 

Os inventários oferecem um conhecimento detalhado das emissões, mostrando, por exemplo, em quais setores as emissões mais cresceram, e permitem, com isso, um planejamento mais eficaz para a Prefeitura conseguir reduzir as emissões de GEE.

 

Um relatório síntese do documento está disponível no Data.Rio,  portal de dados e informações sobre a cidade que é gerenciado pelo Instituto Pereira Passos: http://www.data.rio/search?q=Monitoramento%20das%20emiss%C3%B5es




Informações sobre o Rio

 



 

Aplicativos Aplicativos