Prefeitura assina parceria com ONU para Programa Territórios Sociais

05/04/2019 15:40:00


 

Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

 

 

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, assinou nesta sexta-feira, 5 de abril, no Palácio da Cidade, acordo de cooperação com a ONU Habitat para realização do Programa Territórios Sociais, que vai beneficiar 420 mil pessoas de comunidades cariocas. A iniciativa dá acesso aos serviços públicos a moradores de dez comunidades cariocas com os menores Índices de Progresso Social (IPS): Alemão, Maré, Chapadão, Pedreira, Vila Kennedy, Lins, Penha, Cidade de Deus, Jacarezinho e Rocinha.

 

- É a Prefeitura indo às comunidades para levar políticas sociais. Na primeira ação, chegamos a distribuir quase dois mil filtros de água potável. É importante fazer com que as pessoas tirem documentos, para participar de programas sociais, e as crianças sejam trazidas para a sala de aula. Vamos resgatar a população que está abaixo da linha da pobreza - afirmou Crivella.

 

A Prefeitura vai investir R$ 3,5 milhões no programa, que faz parte das diretrizes do "Plano Estratégico da Cidade do Rio de Janeiro – Rio 2020: mais solidário e mais humano". Um projeto-piloto foi realizado em 2017 e 2018, por meio de ações integradas com diversos órgãos municipais, e atendeu a 2.324 famílias. Nesta nova fase de ampliação dos Territórios Sociais, o objetivo é beneficiar cerca de 150 mil domicílios.

 

A ONU Habitat contribuirá para o programa com sua expertise em metodologias e intercâmbios de ferramentas e experiências internacionais.

 

- O que será feito aqui vai servir de exemplo para todo o continente. Nós vamos contribuir com metodologia e aprender muito com vocês do Rio de Janeiro no trabalho com os mais pobres. Estamos juntos - declarou Elkin Velasquez, diretor regional da ONU Habitat para América Latina e Caribe.

 

Entre os serviços oferecidos à população estão orientação sobre os programas Bolsa Família, Cartão Carioca e outras iniciativas, além de inscrição nas Clínicas da Família e matrícula em creches. Filtros de água potável também são distribuídos a quem não possui. O objetivo é reduzir a vulnerabilidade das famílias e alcançar aquelas até então "invisíveis" para os programas sociais.

 

- O projeto-piloto serviu para testar a metodologia, e agora vamos ampliar isso. Nas regiões onde a pobreza é maior, a ideia é dar dignidade a essas pessoas que estão abaixo da linha da pobreza - explicou o presidente do Instituto Pereira Passos (IPP), Mauro Osório.

 

Segundo Osório, a grande diferença do Territórios Sociais é o olhar integrado da ação pública, alcançando crianças fora da creche, famílias sem documentação e adultos e menores fora dos cadastros da saúde, por exemplo. Outro diferencial importante, destaca o presidente do IPP, é o acompanhamento pela Prefeitura. A pessoa antes desassistida é trazida para dentro das políticas públicas, e isso é monitorado por pelo menos um ano, para que se tenha informação sobre os resultados de todo esse trabalho social.

 

O programa é desenvolvido em conjunto pela Secretaria da Casa Civil, pelo Instituto Pereira Passos e pelas secretarias de Saúde; de Assistência Social e Direitos Humanos; de Educação; de Infraestrutura e Habitação; de Cultura; e de Desenvolvimento, Emprego e Inovação. Os dados coletados por todas as secretarias serão inseridos no Sistema de Informações (Siurb).


Imagens relacionadas:










Informações sobre o Rio

 



 

Aplicativos Aplicativos