Pesquisa Agentes da Transformação completa quatro anos lançando os “Cadernos da Juventude Carioca”

21/12/2016 08:00:00


Instituto Pereira Passos e Instituto TIM lançam hoje, em cerimônia no Museu de Arte do 
Rio de Janeiro, a publicação "Cadernos da Juventude Carioca", que reúne os quatro anos da pesquisa Agentes da Transformação
 
Foram 40 comunidades, mais de 17 mil entrevistas, 340 jovens com idade entre 14 e 24 anos e 34 coordenadores ao longo de mais de quatro anos de trabalho. Estes são apenas os primeiros números a serem encontrados nos "Cadernos da Juventude Carioca", publicação editada pelo Instituto Pereira Passos, em parceria com o Instituto TIM. A publicação, que será apresentada no evento, reúne os principais resultados da pesquisa que, desde 2013, teve como objetivo criar um modelo de capacitação e coleta de dados primários por meio de pesquisas de campo realizadas por jovens estudantes da rede de ensino médio de comunidades pacificadas no Rio de Janeiro. 
 
Durante o projeto, os jovens capacitados aprenderam sobre metodologia de pesquisa, noções de estatística, políticas públicas, direitos humanos, cidadania, entre outros. Os pesquisadores receberam auxílio financeiro e participaram ativamente da construção dos dados dos questionários que seriam utilizados.  As comunidades pesquisadas desde o início da pesquisa foram:
 
2013: Cidade de Deus, Morro dos Prazeres, Nova Divinéia, Ladeira dos Tabajaras, Morro da Providência, São Carlos, Borel, Morro da Formiga, Vidigal e Pavão-Pavãozinho.
2014: Batan, Unidos de Santa Tereza (Fallet/Fogueteiro/Coroa), Salgueiro, Mangueira, Morro São João, Parque Oswaldo Cruz (Manguinhos), Morro Santa Marta.
2015: Barreira do Vasco, Comunidade dois de Maio (Jacarezinho), Timbau (Complexo da Maré), Morro da Fé, Morro do Sereno e Rua Frey Gaspar (Complexo da Penha), Morro do Adeus, Morro da Baiana e Morro do Piancó (Complexo do Alemão), Parque Boa Esperança (Caju), Nova Kennedy, Vila Arará, Roquete Pinto (Complexo da Maré), Bispo, Rodo e Pantanal (Turano), Chapéu Mangueira/Babilônia, Morro dos Macacos.
2016: Nova Holanda (Complexo da Maré), Cachoeirinha, Morro da Cachoeira Grande e Dona Francisca (complexo do Lins) e Rocinha.
 
Os resultados apurados nestas diferentes comunidades ao longo dos anos são apresentados e comparados nos Cadernos da Juventude Carioca. A publicação está dividida em quatro cadernos. O primeiro deles trata de dois temas transversais: gênero e cor. Nesta seção será possível ver diferenças relevantes entre jovens do sexo masculino e feminino e entre jovens negros e brancos.
 
Veremos, por exemplo, sobre educação, que tanto a taxa de distorção idade-série quanto a taxa de abandono de estudos dos jovens negros são piores que as de homens brancos e de mulheres, negros ou brancos.
 
O segundo bloco apresenta os resultados sobre educação, mercado de trabalho, domicílio e núcleos familiares. Estes estudos mostrarão, por exemplo, que, dentre os jovens entrevistados, 17,3% têm filhos. 
 
Estilo de vida é outra área de pesquisa dos Cadernos: como os jovens passam o tempo livre, que espaços frequentam e que tipo de esportes praticam. Vida sexual, violência e consumo de álcool e drogas ilícitas também são alguns dos temas abordados neste bloco cujos resultados serão apresentados no evento.
 
Os Cadernos encerram com uma breve apresentação dos dados coletados entre jovens cumprindo medidas socioeducativas de internação em unidades do Novo Degase no Rio de Janeiro. A pesquisa no Novo Degase é resultado de uma parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e contou com o apoio da Escola de Gestão Socioeducativa Paulo Freire.
 
Além da apresentação dos resultados da pesquisa, o evento no Auditório do MAR contará com a participação de acadêmicos e pesquisadores que analisarão os resultados apresentados.
 
Para realizar o estudo, os jovens do Agentes da Transformação usaram um sistema elaborado especialmente para o projeto, o Para Pesquisa, desenvolvido pelo Instituto TIM e aplicado desde a primeira edição, em 2013. A ferramenta é um software livre para criação de formulários de pesquisa, disponível para sistema operacional Android. Para Pesquisa pode ser utilizado gratuitamente por instituições e empresas interessadas em realizar diagnósticos nas áreas de saúde, educação, moradia, meio ambiente, entre outras. Outra inovação tecnológica foi o programa de geoprocessamento que possibilita a identificação de cada um dos domicílios visitados.
 
Sobre o IPP
O Instituto Pereira Passos (IPP) é um órgão de pesquisa e informação sobre a Cidade do Rio de Janeiro. É referência nacional e internacional em gestão de dados e de conhecimento para o planejamento estratégico e integração de políticas públicas, com trabalhos nas áreas de mapeamento, produção cartográfica e aplicação de geotecnologias.
A missão do IPP é gerir informação e conhecimento sobre a cidade, de modo que o planejamento de políticas públicas e intervenções urbanas tenham apoio em dados qualificados. Mais do que isso, o IPP contribui para a melhoria das condições de vida da população, a eficiência da gestão pública e da promoção do desenvolvimento urbano. O Instituto também é responsável pela produção e documentação de informações relevantes sobre o município, disponibilizadas ao público na forma de aplicativos, estudos, tabelas e mapas armazenados no portal Armazém de Dados (http://www.armazemdedados.rio.rj.gov.br/)
 
Sobre o Instituto TIM 
Criado em 2013, o Instituto TIM tem como missão criar e potencializar recursos e estratégias para a democratização da ciência, tecnologia e inovação, promovendo o desenvolvimento humano, utilizando a tecnologia móvel como um dos principais habilitadores. Possui quatro pilares que definem sua atuação: Ensino, que tem como foco a educação em ciências e matemática; Aplicações, com o objetivo de desenvolver novas soluções tecnológicas; Inclusão, com a difusão do conhecimento de tecnologias de informação e de comunicação; e Trabalho, criando novas formas de atuação por meio do conhecimento tecnológico. Até o momento, em 2015, os projetos do Instituto TIM já envolveram mais de 130 mil pessoas em 237 municípios de todas as regiões do Brasil.



Informações sobre o Rio


 




 

Aplicativos Aplicativos