Instituto Municipal de Urbanismo Pereira Passos - IPP
Agentes da Transformação


 

 

 

O projeto "Agentes da TransformAÇÃO – Perfil da Juventude das Áreas Pacificadas" reúne informações sobre o que jovens moradores de favelas, com idade entre 14 e 24 anos,  pensam a respeito de assuntos como mercado de trabalho, educação, família e lazer, além de acesso à internet. O trabalho, desenvolvido em parceria entre o Instituto Pereira Passos (IPP) e o Instituto TIM, recruta e treina jovens das áreas estudadas para ouvir outros jovens e aplicar questionários usando tablets e softwares especialmente desenhados, conhecendo seus hábitos e condições sociais, econômicas e culturais. A pesquisa funciona como base para orientar as políticas públicas para jovens em diversas áreas, entre elas: Trabalho e Renda; Educação; Esportes e Ciência e Tecnologia. 

 

A primeira edição da pesquisa foi realizada em 2013 em 10 comunidades: Cidade de Deus, Vidigal, Pavão-Pavãozinho, Tabajaras, Providência, Morro dos Prazeres, Borel, São Carlos, Nova Divinéia e Formiga. A segunda etapa, realizada em 2014, ouviu sete comunidades: Parque Oswaldo Cruz (Manguinhos), Batan, Unidos de Santa Teresa (Fogueteiro), Salgueiro, Santa Marta, São João e Mangueira.

 

Para realizar a o estudo, os jovens usam um sistema elaborado especialmente para o projeto, o Para Pesquisa, desenvolvido pelo Instituto TIM e aplicado desde a primeira fase, no ano passado. A ferramenta é um software livre para criação de formulários de pesquisa, desenvolvida para empresas e instituições interessadas em realizar diagnósticos em campo nas áreas de saúde, educação, moradia, meio ambiente, entre outras. O Para Pesquisa funciona com um aplicativo instalado em tablet com sistema operacional Android. Os formulários preenchidos são transmitidos pela internet e armazenados em uma plataforma web. Nessa plataforma, os gestores podem criar novos formulários e acompanhar o desenvolvimento das pesquisas em campo. O sistema está disponível para download gratuito no GitHub.

 

"A parceria com o IPP está totalmente alinhada ao objetivo do Instituto TIM de utilizar a tecnologia móvel em prol do desenvolvimento do país. Criamos a ferramenta utilizada nas pesquisas, auxiliamos na capacitação dos jovens e acompanhamos todas as fases do projeto, pois entendemos a importância do conhecimento das demandas das comunidades. Reunir informações sobre os jovens das áreas pacificadas é um passo essencial para inseri-los na dinâmica da cidade", destaca Manoel Horacio, presidente do Instituto TIM.

 

Outra inovação tecnológica foi o programa de geoprocessamento que possibilita a identificação de cada um dos domicílios visitados.

 

"Através de uma ferramenta de geoprocessamento instalada no tablet é possível marcar, no mapa da cidade, a localização de cada domicílio onde moram os jovens na comunidade. Com isso, ao final do projeto, os dados também estarão georreferenciados", explica Andréa Pulici, doutora em planejamento urbano e regional e diretora de Pesquisa e Avaliação do IPP.

 

Vantagens para os jovens


 

Ao selecionar jovens da própria comunidade para realizar as entrevistas, o projeto também estimula o conhecimento sobre o território onde vivem e fomenta a troca de experiência entre os bolsistas, que vêm de comunidades e realidades diferentes. Os jovens bolsistas da segunda edição do Agentes da TransformAção vão participar de cursos de capacitação e inclusão produtiva, desenvolvido em parceria entre o IPP e o CIEE. Outro benefício é o alinhamento de ações conjuntas com secretarias e outros órgãos municipais para cadastrar os jovens em programas como o Jovem Aprendiz.

 

"Poderíamos ter seguido a rota usual e contratado pesquisadores profissionais, mas resolvemos capacitar jovens matriculados na rede pública para atuar como coletores de dados em seus próprios territórios, apresentando a eles um novo mercado de trabalho e criando a oportunidade para que eles conheçam suas comunidades de maneira aprofundada", disse Eduardo Sá, assessor do Escritório de Gestão de Projetos do IPP.

 

Como foi feito o Perfil da Juventude?

 

 

As duas edições do estudo traçaram um perfil dos jovens em 17 comunidades cariocas. O trabalho durou cinco meses para cada edição (de agosto a novembro), em 2013 e 2014.  

 

Por meio de seleção, foram escolhidos dez jovens em cada uma das 17 comunidades, que foram treinados e capacitados pela equipe do IPP para fazer a pesquisa. Os adolescentes recrutados receberam bolsa mensal nos cinco meses de trabalho.

 

Os dados eram coletados e armazenados nos tablets cedidos pelo Instituto TIM, e num último momento, os técnicos do IPP compilaram e fizeram as estatísticas de acordo com as informações obtidas. Todo o trabalho dos Agentes da TransformAÇÃO no dia a dia foi supervisionado por um coordenador de campo, do Rio+Social.

 

Para mais informações, acesse o arquivo na íntegra:https://goo.gl/Hzuk4D




Serviços Serviços